Monthly Archives: novembro 2014

Inovação Constante

design thinking 5

Nem toda preocupação de uma empresa diz respeito à venda atual, ao fluxo de caixa ou à entrega.

Empresa é que nem jogo de futebol: “Time que está ganhando a gente muda a tempo”.

Mudança é um processo inevitável. Mas não necessariamente radical.

Porém, quando esta mudança gera uma inovação, isso sim tem significado especial!

Mas não sejamos preconceituosos: inovar não é reinventar a roda! Ou criar um produto tão genial que vai nos fazer ficar milionários!

Inovar é, antes de mais nada, um empenho para abrir a cabeça para fazer coisas diferentes, permitir-se criar, permitir-se errar.

Vale a pena pensar no que estamos deixando de mudar em nossa rotina de trabalho somente por acomodação.

Eis algumas modalidades de mudança:

http://bmgenbrasil.com/oqueebuscaconstanteporinovacao/#.VHTJpItXH2c

inovação

Apesar de a máxima ainda valer “na natureza nada se cria”, vale tentar imaginar um formato diferente, um processo de trabalho mais limpo, uma relação de trabalho mais sadia, um valor agregado mais significativo.

Boa sorte e MÃOS À OBRA!

FacebookTwitterGoogle+LinkedInGoogle GmailTumblrPinboardKindle ItEvernoteCompartilhar

Art Nouveau

Hoje seria o aniversário de Toulouse Loutrec, um dos maiores ícones da Art Nouveau.

toulouse loutrec

 

Em sua homenagem, segue essa matéria sobre decoração no estilo Art Nouveau, retirado do site Clique Arquitetura.

Desfrute e Mãos à Obra!

Art Nouveau

00comentários
 

 

O que foi o Art Nouveau

Art Nouveau (ou arte nova, em francês) é um estilo estético que influenciou a arquitetura, o design e as artes plásticas, rompendo com as tradições.

 

Vários exemplos do Art Nouveau na Arquitetura: fachadas, interiores e detalhes. Imagens: Life in a Nutshell

 

Sua origem está diretamente relacionada à Segunda Revolução Industrial: com a industrialização e o aumento de trabalhadores em fábricas, o governo britânico incentivou a criação, em meados de 1830, de escolas que preparassem profissionais para aliar o design à produção industrial. Com isso começaram a surgir críticos avessos a esta interferência do capitalismo nas artes, como John Ruskin (1819-1900), que defendia a liberdade criativa para as artes.

Willian Morris, arquiteto e sociólogo, influenciado pelas ideias de Ruskin, lidera o movimento Arts & Crafts assumindo que era impossível negar o desenvolvimento industrial, abrindo caminho para a síntese entre a arte e a indústria, influenciando no surgimento do Art Nouveau.

 

Exemplos de mobiliário e objetos decorativos do Art Nouveau: Luminárias e vaso de Emile Gallé (3 imagens superiores) | Abajur Tiffany, Mesa de Madeira de Louis Majorelli e mesa de Emile Gallé. Imagens: Macklowegallery

 

Assim, decoradores e artesãos passam a considerar os novos materiais (fruto da industrialização) e técnicas em suas criações, influenciando na concepção dos seus desenhos.

 
  • Período: final do século XIX e início do XX (aprox. de 1890 a 1910);
  • Momento marcante: galeria parisiense L´Art Nouveau, aberta em 1895 pelo comerciante de arte e colecionador Siegfried Bing. Foi o projeto de redecoração da casa de Bing, exposto na Exposição Universal de Paris em 1900, que deu visibilidade internacional ao movimento;
  • Influências: o movimento tem raízes inglesas por ser influenciado pelo Arts & Crafts, liderado por Willian Morris (1834-1896); artes decorativas; iluminuras medievais; arte oriental;
  • Outros Nomes: de acordo com o país onde se manifestou, recebeu diferentes nomes: Modern Style (estilo moderno) – Inglaterra, Style Liberty (estilo livre) – Itália, Style coup de fouet (estilo golpe de chicote) – Bélgica, Arte Floreal – Brasil, dentre outros.
  • Importância Futura: foi um dos estilos estéticos que abriu caminho para o design moderno. Também esteve presente em expressões artísticas posteriores como o estilo psicodélico de 1960-70 e na criação de fontes tipográficas. O Art Nouveau estimulou o surgimento de críticos que defendiam o pensamento racional e funcional: Mies Van der Rohe e Frank Lloyd Wright são exemplos.
 

Litografia de Hippolyte Lucas 1900 e duas litografias francesas de Alphonse Mucha 1898. Fonte:Macklowegallery

 

Características do Art Nouveau

Como os artistas queriam marcar a diferença que existe entre a industrialização e o trabalho manual, valorizaram os traços encontrados na natureza, mostrando sua complexidade e sinuosidade, enfatizando o desafio que a industrialização teria para “dar conta” desta tarefa de aliar produção em massa e o mundo das artes. Este estilo era “uma engenhosa provocação ao poder que as máquinas galgavam naquela época.” – Fonte: Brasil Escola.

 
  • Forma: buscou-se a originalidade, quebrando a tradição. São utilizadas linhas de origem floral ou animal, com formas delicadas, sinuosas, ondulantes e sempre assimétricas;
  • Materiais: explora novos materiais, como o ferro, vidro e o cimento;
  • Design: o movimento diferenciou-se por dar grande importância ao design, deixando de lado a pintura (muito valorizada em outros momentos). Por isso muitas vezes foi marcado por uma decoração elaborada e superficial. O grande destaque foi o desenvolvimento de cartazes (muito difundidos pelo avanço tecnológico que permitiu a criação da litografia colorida) e objetos de decoração. Foram criados novos formatos de letra, marcas comerciais e layouts de impressão. Vassili Kandinsky e Franz Marc utilizaram este estilo em sua pintura, mas a partir de 1920 este estilo foi sendo substituído pelo art déco até ser abandonado.
 

Jardim de Inverno no estilo Art Nouveau, ano 1900, Bélgica. Autor desconhecido. Imagem:Harvestheart

 

Obras e Artistas de Destaque

O Art Nouveau influenciou diferentes campos da arte: edifícios, objetos de decoração, móveis e quadros.

 

Exemplos de estudo para vitral, guarda-chuva, luminária e poltrona de Louis Comfort Tiffany. Imagens: The Metropolitan Museum of Art

 

Artistas – Artes Plásticas:

  • Gustav Klimt (1862 – 1918), autor de “O beijo” (1907);
  • Henri de Toulouse-Lautrec (1864 – 1901), que assina “Baile no Moulin Rouge” (1890);
  • Pierre Bonnard (1867 – 1947), criador de “Prato de Maçãs em Cima de uma Mesa” de 1905.
 

O Beijo, de Gustav Klimt. Imagem: Batendo Papo com Jamil | Baile no Moulin Rouge, de Henri de Toulouse-Lautrec. Imagem: Toulouse Lautrec Foundation | Café da Manhã, de Pierre Bonnard. Imagem: Artnet

 

  • Eliseu Visconti – Brasil (pioneiro do design no país)
 

Exemplos de trabalhos de Eliseu Visconti: Estudo para a capa da Revue du Bresil 1895 | Estudos para Selos 1902 (imagem central superior) | Arte Brasileira Logotipo (imagem central inferior) | Capa do Catálogo da Exposição 1901. Imagens: Eliseu Visconti

 

Objetos de Design Famosos:

  • Vasos e Lamparinas Tiffany
 

Obras de Louis Comfort Tiffany. Imagens: The Metropolitan Museum of Art

 

  • Artigos de Vidro Lalique
 

Exemplos de artigos criados por René Jules Lalique: vasos, colar e adorno de cabelo. Imagens: The Metropolitan Museum of Art

 

  • Estampas Liberty City
 

Exemplos de padronagem Liberty Classics atuais. Imagens: Liberty

 

O Art Nouveau na Arquitetura

O Art Nouveau influenciou a arquitetura do final do século XIX e início do XX. São características deste estilo:

  • Estilo floreado;
  • Formas orgânicas e naturais – inspiradas em folhagens, flores, cisnes, labaredas e animais;
  • Edifícios: Linhas curvas, delicadas, irregulares e assimétricas / utilizam muitos mosaicos e misturas de materiais;
  • Ambiente interno e externo articulados, unindo forma e função. Muitos utilizavam equipes de trabalho que construíam da estrutura do edifício aos ornamentos decorativos.
 

Interior da Residência Henry. Autor: Louis C. Tiffany. Imagem: Tiffanystudios

 

Exemplos de Arquitetura Art Nouveau

  • Balaústre da escada da Casa Solvay 1894/99, em Bruxelas, do arquiteto e projetista belga Victor Horta (1861-1947). Também são de sua autoria: a Casa da Rua Turim, nº 12, em Bruxelas (1893), a Casa do Povo (1896) e a residência Tassel em Bruxelas (1892/93);
 

Balaústre da escada da Casa Solvay. Imagem: Thani Litsz | Casa Tassel. Imagem: Arquitetura e Arte 3º G

 

  • As cerâmicas e os objetos de vidro do artesão e designer francês Emile Gallé (1846 – 1904);
 

Obras de Emile Gallé: Cama Borboleta de 1904. Imagem: Artnet | Vasos. Imagem: worldcollectorsnet| Luminária. Imagem: Christie´s | Luminária (imagem inferior). Imagem: Desarte

 

  • A fachada do Ateliê Elvira, 1898, em Munique, do alemão August Endell (1871 – 1925);
  • Os interiores do norte-americano Louis Comfort Tiffany (1848 – 1933);
 

Fachada do Ateliê Elvira de August Endell. Imagem: A luz da Luz | Janelas de vidro (sobre as portas) projetadas por Tiffany e executadas pela Tiffany Studios na Mansão Herter 1908. Imagem: Fontworld

 

  • As pinturas, os vitrais e painéis do holandês Jan Toorop (1858 – 1928);
  • O Castel Beránger e estações de metrô, de Hector Guimard (1867 – 1942), em Paris;
 

Estação de Metrô de Hector Guimard. Imagem: Macklowegallery | Pintura “Paisagem com Vacas” de Jan Toorop. Imagem: Historiek

 

  • A Casa Milá, 1905/1910, o Parque Güell e a Catedral da Sagrada Família de Antoni Gaudí (1852 – 1926), em Barcelona;
 

Obras de Gaudí: Casa Milá. Imagem: Archidialog | Catedral da Sagrada Família. Imagem: Bravemw

 

  • A Villa d’Uccle, 1896, do arquiteto e projetista belga Henry van de Velde (1863 – 1957).
  • Café Majestic idealizado pelo arquiteto João Queirós, funddo em 1916 na Rua de Santa Catarina, 112, Porto, Portugal.
 

Villa d’Uccle do Arquiteto Henry van de Velde. Imagem: A luz da Luz | Café Majestic do Arquiteto João Queirós. Imagem: Wikipédia

 

O Art Nouveau no Brasil

No Brasil o Art Nouveau recebeu o nome de arte floreal, influenciando a arquitetura e as artes gráficas. Como nossa industrialização ainda era muito pequena, o estilo acabou sendo utilizado principalmente para ostentar a riqueza das altas classes da sociedade, que gostavam de mostrar que “estavam na moda”.

São Paulo, Manaus e Belém foram os principais pólos de desenvolvimento deste estilo. O primeiro devido à riqueza dos fazendeiros de café e as outras duas devido ao próspero ciclo da borracha (nestes dois lugares os ornamentos representavam a natureza e o homem amazônicos, assim como a arte marajoara).

 

Praça Batista Campos urbanizada por Antonio Lemos em 1901 em Belém. Imagem: Engetower | Teatro Amazonas em Manaus: uma mistura do estilo Neoclássico e Art Nouveau. Imagem: Fazendo História

 

Escadaria metálica do Palácio da LIberdade, sede do poder executivo mineiro: um exemplo da aplicação do Art Nouveau. Imagem: Minha Casa Minha Cara

 

O estilo também esteve presente, mas de maneira bem mais suave, no Rio de Janeiro – nas obras, por exemplo, do italiano Virzi. Salvador e Belo Horizonte possuem alguns poucos exemplos, pois a maioria é composta por edifícios que receberam ornamentos apenas para decorar. O destaque neste caso é para a escadaria metálica instalada no Palácio da Liberdade, sede do poder executivo mineiro, a qual representa a importância do uso do ferro na época.

 

A Confeitaria Colombo no Rio de Janeiro tem um toque de Art Nouveau em sua decoração. Imagens:Confeitaria Colombo

 

Também é possível perceber a influência do Art Nouveau nos cartazes e revistas distribuídos, os quais passavam a utilizar novos layouts de impressão e técnicas de litografia colorida.

 

Cartaz da República do Brasil. Imagem: Arquibrasil2010 | Cartaz de propaganda e selo comemorativo de Eliseu Visconti. Imagem: Blog propaulo

 

Exemplos de Arquitetura Art Nouveau no Brasil:

  • Viaduto Santa Efigência, 1913 São Paulo, foi totalmente fabricado na Bélgica.
 

Viaduto Santa Efigênia em São Paulo: um exemplo da arquitetura do Art Nouveau. Imagem:Skyscrapercity

  • Vila Penteado do Arquiteto Carlos Ekman, atualmente pertencente à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAU/USP, na Rua Maranhão, é considerada um dos mais representativos exemplares de Art Nouveau em São Paulo. Possui um estilo menos rebuscado, semelhante ao estilo Art Nouveau austríaco – Sezession Vienense;
 

Vila Penteado, do Arquiteto Carlos Ekman, construída em 1902, um dos grande exemplares da arquitetura Art Nouveau. Imagens: Skyscrapercity

 

  • Casa da Rua Marquês de Itu, nº 80, São Paulo, do arquiteto Victor Dubugras (1868-1933);
  • Residência do Dr. Horácio Sabino, na Av. Paulista esquina com a Rua Augusta, em São Paulo;
  • Estação de Ferro Mairinque, São Paulo, 1906
  • Vila Bolonha, do engenheiro Francisco Bolonha, em Belém
 

Residência Horácio Sabino, 1903. Imagem: Abandonadoeantigo |  Estação Ferroviária de Mairinque, 1906. Imagem: mkcultural

 

Saiba Mais

Você também poderá buscar mais informações em livros sobre o assunto:

  • Livro: Louis Comfort: Tiffany – This lavish volume provides an overview of the fifty-year career and the highly innovative and creative work of Louis Comfort Tiffany (1848-1933). The inventor of Favril Glass, an opalescent glass with deep, glowing color that far surpassed, in quality and beauty, all existing techniques, Tiffany was one of the most original and influential designers and America´s leading exponent of Art Nouveau. Tiffany Studios, founded in 1889, were well known for their use of sensuous, organic, natural and floral forms. Tiffany´s iridescent colored vases and his lampshades with their haunting colors became extremely popular and sought after the world over. Although known primarily as a glass artist, Tiffany was also involved in interior design, furniture, rugs, ceramics, mosaics, jewelry, bronzes, desk sets, mirrors and more. He decorated the White House, as well as the homes of Mark Twain, Cornelius Vanderbilt, Andrew Carnegie and others. With some 400 color plates, text by Jacob Baal-Teshuva, a documentary index, and an illustrated biography/bibliography, Louis Comfort Tiffany pays homage to the brilliant life´s work of the man who revolutionized both the art and technique of stained glass.   (Autor: Jacob Baal-Teshuva / 352pgs)
 

Pesquise preços – Buscapé: Louis Comfort Tiffany

 

 

Pesquise títulos e preços: Art Nouveau – Buscapé

 

Veja Também

 

Fontes Consultadas

 

 

MENOS É MAIS

Menos é mais! Essa tendência perdura há alguns anos, na moda, nos hábitos e também na decoração.

Na Iluminação Decorativa, não há tendência mais forte do que substituir os lustres pela lâmpada no pedente. O diferencial é usar lâmpadas de Led, mais modernas e usar a imaginação na hora de pendurar.

5_11 4_11 3_11 2_11 1_11 (1)

Na Paco, você pode adquirir nossa linha de pendentes e usar sua imaginação para deixar os ambientes bem iluminados, bonitos e modernos.

540

Luminárias em PVC

Bom dia!

Fazer luminárias pode ser uma profissão. Mas é também um hobby bem relaxante. E útil!

Afinal, quem não gosta de receber algo feito à mão por alguém?!

E para dar mais uma ajudinha nesse sentido, segue o blog da Ju Luminárias em PVC.

Ela é talentosa, caprichosa e ainda compartilha suas técnicas.

E para completar o capricho do trabalho, sugerimos o uso do nosso material elétrico.

Mãos à obra!

K104501

Paco Virtual

Século XXI é sinônimo de informação. E não há forma mais eficiente do que propagar uma informação do que a Internet. A empresa que não está hoje no mundo virtual de forma consistente está perdendo um espaço precioso e, em muitos casos, gratuito de Comunicação com o Mercado e com o Mundo.

Sim, porque há muito o que se dizer dentro de uma empresa além da divulgação tradicional dos seus produtos.

Isso se chama Conteúdo!

A Paco também está nas nuvens…

  • G1 de São Carlos
  • Pinterest
  • Google Plus
  • Facebook
  • Linkedin
  • Porto Ferreira Hoje

E este blog, é claro!

Logo o novo site estará no ar!

Mãos à obra!

G1 paco pinterest paco google plus paco face paco linkedin pacoporto ferreira hoje paco

Fios coloridos para luminárias

Sabe aquelas luminárias pendentes com fios caríssimos que a gente acha tão lindo?! Pois é, se você quiser fazer algo bonito, mas um pouco mais barato, olha a sugestão do blog “Senhora Inspiração“.

Para este item de decoração, sugerimos o uso do Rabicho com Interruptor de Botão Faça Fácil Paco na medida que necessitar, com várias opções de soquetes (porta lâmpadas).

100B

002 025 037 067 069

Faça Fácil – Luminária Extra

Fonte: Apartament Therapy

Mãos à Obra e Desfrute o Momento!

Luminárias de Garrafas

Espetacular ideia do site www.almocodesexta.com.br

No material elétrico, podem ser usados os itens do Kit para Abajur da linha Faça Fácil Paco:

K104

E na escolha de cúpulas, conte com a Silvia Luminárias.

 

Luminárias com garrafas de bebida

Imagina isso, criar luminárias com garrafas de bebida! Pode parecer engraçado, mas é uma ideia legal e dependendo do estilo do proprietário e do ambiente, pode ficar bem original.  A opção mais fácil é utilizar as garrafas para criar abajures. É só colocar uma cúpula que já pode ser comprada pronta e dar um toque super criativo à luminária. O difícil é se decidir por uma luminária de vinho, whisky ou vokda, rs!

timthumb.php_

fotos_luminarias_abajur

Hoje em dia, como existem muitas bebidas que lançam garrafas com estampas e edições diferentes, fica mais fácil se quiser fazer uma luminária mais feminina, como essas com garrafas de Absolut e cúpulas mais coloridas, como rosa ou amarelo.

absolut-apeach-yellow-abajurabsolut-ruby-red-abajurTambém fica muito legal para ser utilizada em decoração de festas e jantares. Abaixo, a imagem de uma festa promovida por Chrystian de Saboya, em que ele utilizou garrafas de vinho como abajur, integradas à peça central na decoração das mesas.

desaboyaUma opção legal é acrescentar iluminação na parte interna da garrafa… Nesse caso, é necessário um pouco mais de  cuidado para furar a garrafa e passar a fiação, sem dúvida é uma opção que fica bem inusitada.abajur-jack-daniels

luminaria pisca pisca, cerveja e vinho, garrafaAgora, para aqueles que se empolgaram com a ideia, podem também juntar várias garrafas e preparar um pendente, o que acham?

luminarias-barlite Bem, quem quiser investir em uma decoração assim, agora tem uma ótima desculpa para convidar os amigos para um happy hour e esvaziar várias garrafas.  Espero que tenham gostado da dica!

Dicas Práticas

Mais uma dica de site seguro!

 

Quer trocar o lustre? É fácil, porém, lembre-se de desligar a chave geral de energia. Com isso, descasque os fios do novo lustre com um alicate, junte as pontas com os fios do teto, enrole-os para que fiquem bem presos e encape-os com pelo menos quatro voltas de fita isolante. Parafuse a base e encaixe o lustre.
Foto: Quer trocar o lustre? É fácil, porém, lembre-se de desligar a chave geral de energia. Com isso, descasque os fios do novo lustre com um alicate, junte as pontas com os fios do teto, enrole-os para que fiquem bem presos e encape-os com pelo menos quatro voltas de fita isolante. Parafuse a base e encaixe o lustre.

 

Esse foi tirado do Facebook da Telha Norte!

 

Mãos à obra!

Dicas de Faça Você Mesmo

Quantas coisas podemos fazer nós mesmos gastando pouco!

O ideal, porém, é sempre tirar dúvidas e pegar orientações com quem sabe. Às vezes o balconista da loja do material que vai usar, um profissional da área que esteja disposto dar dicas e a internet.

Sempre tentando buscar os sites mais conhecidos e chegando em uma ou duas postagens.

Para quem quer saber fazer coisas ligadas ao conceito de Bricolagem, existe um site muito legal, com folhetos digitais que podem ajudar:

http://www.leroymerlin.com.br/faca-voce-mesmo/

E para fazer suas extensões, uma luminária pendente, um abajur, conte com os kits da Faça Fácil Paco.

280 285 286

K104K521100

507

Mãos à obra!